alerta_redes_sociais-642x336

Redes Sociais, um alerta para a humanidade

O principio da humanidade surge no momento da socialização do homem e na definição do valor dos valores. A moral na construção de reivindicações pertinentes e cabíveis à realidade do cotidiano humano está evidenciada por manifestações de todas as formas e origens, tendo o ser humano consciência de seus direitos e deveres, o poder de edificar ou arruinar anos de investimento sociais.

As redes sociais são fundamentais na constituição da evolução humana, seja em seus aspectos técnicos e funcionais, quanto em sua característica de compartilhamento das publicações. No entanto, essas ferramentas estão alienando muitos indivíduos que, encarcerados no espaço cibernético, limitam-se, por vezes, são juízes dos valores que acreditam, veementemente, ser decoroso. O abuso é desmedido, pretensioso e desrespeitoso, e a exposição do outrem não se vale da ética e da moral, muito menos do valor dos valores inseridos na sociedade. Deturpam as publicações e renovam o sentido das frases, ignorando a essência da gramática e da estrutura frasal. Absorvem em seus comentários mal intencionados, somente as partes que lhes convém, e criam monstros digitais e paráfrases imorais.

É importante à humanidade a cooperação responsável e a utilização com bom senso das redes sociais. Mais relevante é o posicionamento do indivíduo, que deveria interagir com o mundo real, na esfera das soluções e das leis, e argumentar sem subterfúgios sobre as suas aspirações, dedicando parte do seu tempo na formalização de reivindicações concretas e documentadas. A desculpa constante de que os poderes são falhos, representam muletas simbólicas e escoras pragmáticas, além de ser uma justificativa de autoafirmação para atacar as pessoas e se eximir da responsabilidade e da exposição.

Justificar a derrota para o sistema é o extrato da mediocridade e da ausência de vontade, denotada por interpor o ócio e a despreocupação, imediato ao absentismo do compromisso com a pólis. A observação é um elemento de aprendizado e, constantemente, norteia a atitude humana, sendo instrumento de avaliação do que é proveitoso à evolução individual. A criticidade é salutar, no entanto quando destrutiva, principalmente no que diz respeito às redes sociais, enfraquece todo o sentido da sua existência.

A rede social deve ser usada, efetivamente, como canal de manifestação, porém é necessário mutualidade sobre as publicações alheias. A liberdade de expressão é garantida no artigo 5º da Constituição da Republica Federativa do Brasil de 1988, para todos. Portanto, as pessoas não podem ser vedadas, bem como os juízes dos comentários, que vedam e questionam aonde outrem quer ou não chegar. E a reposta é objetiva: CHEGAR AO ARTIGO 5º QUE É DIREITO DE TODOS. Portanto, entrar no comentário alheio e repugnar, repreender e julgar é permitido, mas com respeito à opinião expressa e, igualmente, resguardada.

Fica a dica do aplicativo CIDADERA para realizar a sua denuncias para qualquer município:

https://play.google.com/store/apps/details?id=com.cidadera&hl=pt_BR

Até a próxima.

BACK